Startup da Suécia Leva Mineração de Bitcoin Para o Espaço

Startup da Suécia Leva Mineração de Bitcoin Para o Espaço

A Miner One, startup de mineração com sede em Luleå, na Suécia, lançou um balão que levou equipamento de mineração de bitcoin para mais de 35 mil metros de altura. O teste aconteceu na última segunda-feira (30), na Lituânia.

aeróstato, com capacidade de altitude elevada, subiu com o equipamento para mineração de Bitcoin e operou na segunda maior camada da atmosfera terrestre, na estratosfera, segundo o site News Bitcoin.

O projeto, batizado de ‘Space Miner One’ (SMO), tem como objetivo criar uma comunidade de ‘mineradores do espaço’ através de um ICO.

Ainda não foi revelada de qual forma será a mineração, se em ‘pool ou nuvem’, mas o grupo está muito confiante, tanto no projeto – que aparentemente é uma publicidade – quanto na alta do Bitcoin.

De acordo com a Miner One o empreendimento não visa só os lucros para si e para os afiliados, mas também como um passo a mais na questão de energia alternativa para mineração.

O projeto também passa uma mensagem, uma alusão ao jargão ‘subir à Lua’ ou ‘Para a Lua’, específico da comunidade de criptomoedas quando se acredita numa alta significativa de alguma delas.

“Rumo aos 35 mil e além”

O balão feito de látex foi inflado com gás hélio, que é menos denso, ou seja, é mais leve que o ar. Ele também possui um paraquedas. Já o equipamento de mineração são ASICs conectados a um computador Raspberry Pi3.

Faz parte do equipamento também uma bateria e um telefone dentro de uma cápsula de fibra de carbono. Acima do aparato foi colocado o símbolo do Bitcoin feito de metal. Segundo a empresa ele será sorteado na comunidade.

O conjunto também possui equipamento de navegação e rastreamento, fonte de alimentação independente e equipamento de controle de temperatura.

A subida

O Space Miner One atravessou a troposfera, os ASICs foram ativados e conectaram o equipamento, via satélite, à Internet. À medida em que foi entrando na estratosfera a queda da pressão do ar fez com que ele expandisse em 2,2 ma, 10 m de diâmetro. O balão ficou grande o suficiente para ser visto da superfície. O Trajeto levou 2 horas e 30 minutos.

A descida

A operação começou com a detonação do balão. Em seguida foi aberto o paraquedas e a SMO finalmente começou sua volta ao solo. A equipe ficou monitorando graças ao GPS até chegar ao local da queda.

“Depois de subir para mais de 35 mil metros enquanto minerava bitcoin, a Space Miner One desce de volta à Terra e é recuperada com sucesso em um campo aberto na Lituânia”, publicou o grupo em sua página no Facebook.

Custo-benefício

A perspectiva de mineração de bitcoin acima da atmosfera pode se tornar mais atraente a partir desse tipo de projeto devido à abundância de energia solar e às baixas temperaturas do espaço.

Peter Todd, especialista no desenvolvimento do Bitcoin, prenunciou esse acontecimento na ‘Breaking Bitcoin Conference’ em agosto do ano passado em Paris, na França, apontando-o como uma alternativa de recursos de energia.

“A energia gerada em órbita pode ser a única maneira economicamente relevante. A maneira mais fácil de recuperar o poder, ou pelo menos o dinheiro que a energia representa, em termos de bitcoin”.

Resultado

O tempo de processo no decorrer das 2 horas e meia não foi o suficiente para minerar alguns satoshis com o poder de um Block Erupter de 330 Mh/s usado para o teste. No entanto, a missão pode ser vista como uma prova de conceito para mineração de bitcoins no espaço.

O CEO da Miner One, Pranas Slusnys, falou sobre uma pesquisa realizada com os membros da comunidade. Segundo ele, todos estão otimistas em relação à alta do Bitcoin para este ano:

“Estamos otimistas com o bitcoin porque ele continua sendo a aplicação mais popular e comprovada do mundo da tecnologia blockchain. E apesar do recente momento de retração do mercado vemos um interesse crescente na adoção”.

A Miner One realizou uma pesquisa com mais de 1.500 membros da comunidade. Os resultados parciais mais relevantes foram os seguintes:

31% acredita que o bitcoin irá ultrapassar US$ 15 mil até o final do ano; 26% disseram que espera valor acima de US$ 25 mil; 10% dos entrevistados têm confiança numa alta que pode elevar o Bitcoin acima de US$ 35  mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *